terça-feira, 18 de outubro de 2011

Brasília, a capital da corrupção.

Vergonhosa, escandalosa, calamitosa. Decadente, incandescente, inconsciente. “Estevanizada”, “Roririzada”, “Arrudizada”. O dinheiro roubado domina a vida pública.
Quando se imaginava e até acreditava, que a corrupção de Brasília havia atingido o máximo, seria impossível cair mais, veio abaixo, e com estrondo. Todos os que estavam em palanque eleitoral, desabaram, perdão, foram jogados longe, só que para o alto.

No momento, se trava luta pelo domínio daquilo que já foi um deserto completamente devastado e se transformou na maior riqueza à flor da terra. O deserto se POVOOU, só que apesar da palavra, o que não há em Brasília é POVO. Agora, vários grupos de CORRUPTÍSSIMOS, de apenas CORRUPTOS, e vá lá, de CORRUPTUZINHOS, se enfrentam para conquistar o Poder ou para não perdê-lo.

Quatro grupos se articulam, se juntam, se enfrentam, se harmonizam, apesar de há anos e anos não fazerem outra coisa a não ser o “compromisso da obsessão”: minha conta bancária não pode ser menor do que a tua.

Antes de mais nada, devo eliminar um desses 4 grupos. É integrado por gente de excelente formação, incorruptíveis, apaixonados pela cidade, que pretendem salvar. (Só pode ser pretensão, embora POSITIVA).

Mas não sabem como começar, pois nenhum dos organizadores, dos participantes, do que se entregaram à tarefa da RECUPERAÇÃO, quer que seu nome seja lembrado para coisa alguma.

Restam assim, pelo menos os outros três grupos, sendo que podem surgir mais. É tanto dinheiro já GANHO que precisa ser preservado, ou mais, muito mais, que têm para ganhar.

A impressão a respeito do “dinheiro que corre” por lá, é tão fantástica, que não há mais dúvida. A capital foi descoberta, plantada e construída, na base da carta de Pero Vaz Caminha: “A terra é tal maneira dadivosa, que em se plantando, dar-se-á nela tudo”. Principalmente essa árvore descomunal conhecida como CORRUPÇÃO.

Os que lutam desvairadamente pelo Poder a qualquer custo, no momento têm os seguintes “líderes”, (não seria melhor dizer “proprietários”?), embora outros possam fazer lances maiores:

1 – Roriz – Luiz Estevão. Eram inimigos, hoje é impossível encontrar um sem encontrar o outro. Em Brasília não conheço, mesmo no antro da corrupção, quem seja mais rico do que eles. São fichas LIMPÍSSIMAS, se recuperaram pagando o preço exigido.

Querem formar uma chapa e disputar o governo agora em 3 de outubro. O vice seria o CORRUPTARDO Estevão. Mas a sua vice é baseada numa observação, feita não apenas por ele, mas por muita gente. Assumiria logo, Roriz está cada vez mais magro, era um homem enorme, agora diminuiu quase 30 quilos. Portanto, Estevão é um “vicecontra”. E na verdade, quando é que o segundo não quis o lugar do primeiro?

Duas filhas de Roriz, além da herança em bens, terão a herança eleitoral. Uma é candidata a deputado federal, a outra a distrital (estadual). Estão eleitas, claro.

Finalizando: vão fortalecendo a chapa com nomes para o Senado. São duas vagas, os candidatos, inúmeros, não há nada que seduza mais do que a companhia e a convivência com corruptos. (Mas para o Senado, pelo menos uma vaga não será destinada a um CORRUPTO).

Contam ainda com o apoio e a “boa vontade” de Arruda. Eu disse aqui, quando foi cassado: “Não abandonou a vida pública, o tempo passa rápido”. Roriz tem grande penetração na periferia, Arruda no Plano-Piloto, Estevão compra quem for necessário, NÃO TEM RESTRIÇÕES geográficas, sua montanha de dinheiro arromba qualquer região.

2 – Rogério Rosso. O governador “eleito” por alguns meses, quer uma eternidade. Já fala abertamente em reeeleição, a nova “verborragia” usada por quem não foi eleito. Suas conversas estão indo muito bem. O que oferece é IRRECUSÁVEL. Para ele, quer “apenas” o PODER de ESCOLHER e DISTRIBUIR.

3 – Agnelo Queiroz. Do PT, era do PCdoB, mudou para o partido do Lula, que ficaria satisfeitíssimo em deixar Agnelo (seu ex-ministro) como governador. E para lamentar, não se elege nem parlamentar.

Já preparam ação contra o ex-ministro. Não tinha nada, agora mora em mansão no Lago Sul. E circulam pela capital, fotos e mapas, com terras públicas que o ex-ministro incorporou à mansão. Comunista acima de qualquer suspeita, só conheci Luiz Carlos Prestes.

***
PS – A intervenção MORREU no nascimento. Sempre disse aqui: a idéia do procurador-geral, Roberto Gurgel, era ótima, mas não havia quem nomear.

PS2 – A corrupção está infiltrada na “alma” de pelo menos 80 por cento dos homens públicos de Brasília. Correriam o risco (e a vergonha) de transformar um interventor correto num biombo para CORRUPTOS.

PS3 – Ainda existem muitos nomes de fichas-sujas, que controlam tudo na capital, de bancos a companhias de aviação, a “senadores” que nunca disputaram eleições, não eram bons nem como vendedores de automóveis.

PS4 – Cristovam Buarque, reeleito para o Senado, fato que parecia impossível no ano passado. Agora, realidade satisfatória. A outra vaga será disputadíssima, tristeza se for preenchida por um CORRUPTO RIQUÍSSIMO (redundância). Tenho esperança que isso não aconteça. Só esperança.

PS5 – Só posso terminar, repetindo alguma coisa que já disse, mas é insuperável, e para a população da capital, insuportável. Brasília nasceu invilecida, se diz cinqüentenária, está apenas envelhecida. E esclerosada.

PS8 – O curioso e deprimente, é que todos sabem disso e não reagem. Reconheço, como reagir? Quando falam em Arruda, Roriz, Paulo Octavio, Gim Argelo, Estevão, Wagner Canhedo, Constantino (o dono da companhia de aviação que trocava cheques milionários por nada), ninguém se incomoda.

PS9 – Mas na intimidade deles mesmos, quando tramam novas aventuras contra o cidadão, sussurram: “Somos vítimas de injúria, calúnia e difamação, unicamente por defender a liberdade e não deixar que tentem destruir a capital que construímos”. Que Republica

fonte: http://www.tribunadaimprensa.com.br/?p=8774

Um comentário:

  1. realmente, já deu o que tinha que dar...acho que ninguém aguenta mais tanta corrupção....
    abs

    ResponderExcluir